Anuncie aqui!

Bom Jesus da Serra: Três atrações musicais vão animar a Seresta da Família

As três atrações musicais que vão se apresentar na Seresta da Família em Bom Jesus da Serra, já estão confirmadas. Trata-se de Caetano Bomfim, Wanderson Braga e Trio Ternura & Cia. O evento acontece no dia 01 de julho, e é organizado pela Paróquia Senhor Bom Jesus, com o objetivo de arrecadar fundos para a Festa do Senhor Bom Jesus, que inicia no final de julho e finaliza no dia 06 de agosto.

Bom Jesus da Serra: Pitta Show se apresenta na Lanchonete Crystal no próximo sábado (17); veja uma palhinha

No próximo sábado (17) o cantor acústico Pitta Show se apresenta em Bom Jesus da Serra, na Lanchonete Crystal – Pitta Show é de Poções e se apresenta frequentemente nos bares da cidade, com um repertório bastante variado. A apresentação na Crystal terá início a partir das 9 horas da noite.

Veja uma palhinha:

Bom Jesus da Serra | 28 anos de emancipação política: Conheça a história do surgimento da cidade

Por Orônio Nunes 

Tendo como municípios limítrofes Anagé, Boa Nova, Caetanos, Mirante, Poções e Planalto, apresentaremos um breve histórico da povoação da Cidade de Bom Jesus da Serra segundo fontes abaixo citada e bastante consideradas. A Cidade está assentada onde outrora se conhecia como a sede da Fazenda Bom Jesus de Baixo, cujas terras pertenceram a Timóteo Gonçalves da Costa, aquele que fundou o arraial da Cidade de Poções. Estas terras, após a morte de Timóteo, ficaram para o seu filho o Capitão Bernardo Gonçalves da Costa. Os últimos proprietários dessas terras, chamadas de Bom Jesus de Baixo, foram Daniel Ferreira da Costa (ou Joaquim Manoel Teixeira) e Vicença Ferreira Campos, que na data de 31 de dezembro de 1887 venderam para o Capitão Raimundo Pereira de Magalhães pela quantia de 20$000 (vinte mil réis), cuja escritura foi lavrada na mesma data. Posteriormente, passaram-se aos herdeiros que tinham como objetivo desenvolver a agricultura e a pecuária. Ao redor da sede da fazenda, foram criadas casas de moradia e comerciais, capela, cemitério etc. Os fundadores lotearam áreas e convidaram amigos e parentes a construírem casas na localidade. Afluíram muitos membros da família Meira, e outras famílias como Moreno, Moreira do Carmo e Amaral (as pioneiras). O comércio do arraial ganhou grande impulso, foi criada uma feira livre onde os produtores rurais vendiam suas mercadorias, tais como: laticínios, carnes, mamona, milho, feijão, farinha de mandioca e outros gêneros, quase sempre enviados para Poções.

A descoberta e exploração da mina de amianto no Povoado São Félix iniciou-se na década de 1930, sendo até então a única do País, com as atividades durando quase 30 anos, produzido milhões de toneladas de lã de amianto e exportado este minério até para a França. Na década de 1940, instalou-se uma usina para beneficiamento de caroá, muito abundante em toda caatinga e que era transformada em corda e barbante e levada para Salvador. A partir de 1945, com o desinstalar da usina, houve uma forte decadência em todo o povoado. A feira livre semanal foi extinta e transferida para a fazenda Bonfim do Amianto. Mais ou menos nesta mesma época foi desativada a exploração da mina de amianto por ter trazido sérios problemas de saúde para muitas pessoas. Já no ano de 1953, Bom Jesus da Serra passou a sediar o Distrito de Paz, com a extinção do Distrito de Água Bela, ao qual pertencia o Arraial de Bom Jesus da Serra, que foi elevado à categoria de Vila de Bom Jesus da Serra, retomando o seu progresso. Em 1989 a Vila foi elevada à categoria de cidade pela Lei Estadual nº 5008 de 13/06/1989, que criou o Município de Bom Jesus da Serra, desmembrado de Poções. Os poetas, como sempre, encarregaram-se de cantar sua Terra que está além das formalidades estadistas ou de gênero similar. Cantaram na primeira estrofe a chegada dos seus moradores e o recebimento do pseudo Estrela do Sertão, seguida da Fé no Excelso Senhor Bom Jesus e das tradições que serviram como bálsamo a este povo tão sofrido. Na terceira estrofe, fazem uma referência geográfica à Caatinga, traduzido do Tupi no termo Campo Branco, e seus riachos salobros, fontes que abastecem e aliviam a secura desta Terra.

O 13 de junho, data da emancipação política, cantado na quarta estrofe, lembra o anonimato de tantos irmãos que doaram suas vidas para o progresso político do Município, mas que por razões diversas ficaram no esquecimento. Suas contribuições jamais serão negadas à verdadeira história! Na última estrofe reafirmam o amor dos seus filhos pela Terra Mãe contrastando com a saudade que no peito tocou, assolando aqueles que se sentem forçados a deixar a Terra Natal sem saber se um dia poderão ainda voltar.
Acima de toda mácula, de qualquer limitação humana, de suas dores e resultados oriundos da gestão e do interesse, reina uma Pátria inatingível pela ambição, pelas cobiças e disputas do bem e da posse. Ela se chama Bom Jesus da Serra, minha Estrela do Sertão! Parabéns!

13 de junho de 2017 – Fontes:
Retirada do Livro: “A Bahia de Hoje”, de Ricardo Benedictis
Contribuição do professor e pesquisador Humberto Amaral Carneiro
Informações cedidas pelo senhor Felix Martiniano Magalhães e disponíveis no site do IBGE.

Letra do Hino: Orônio Nunes de Oliveira | Humberto Amaral Carneiro.

Jovem procura por moto que foi roubada durante a Festa de Santo Antônio, em Mirante

Um morador da cidade de Mirante procura por sua moto que foi roubada em Mirante – Bahia. O roubo aconteceu durante a Festa de Santo Antônio no último dia 12 de junho enquanto estava estacionada em uma rua próxima ao circuito da festa. A moto é uma Fan preta, ano 2007 (mesmo modelo da que aparece na imagem acima), placa: JRW – 2416. Qualquer informação sobre a moto pode ser contactada através do seguinte contato: 98861-2475.

Página 1 de 11