A Embasa divulgou nota nesta terça-feira (14) apontando que as buscas da Polícia Federal que aconteceram na sede da empresa durante a manhã visavam buscar informações sobre a operação da Estação de Condicionamento Prévio (ECP) do Rio Vermelho em março de 2016. Na época, o equipamento foi temporariamente comprometido depois que um ônibus bateu em um poste da rede elétrica que atende a estação de tratamento operada pela Embasa, causando uma parada no sistema de bombeamento. Em nota, a Polícia Federal relatou que a Operação Águas Limpas apura o lançamento de esgoto sem tratamento no oceano. Investigações apontam que o esgoto sanitário estava sendo lançado no mar sem o cumprimento das etapas necessárias para minimizar o impacto ambiental dos dejetos. De acordo com nota divulgada pela Polícia Federal, uma perícia comprovou que a bomba responsável por viabilizar o tratamento estava inoperante. A nota da Polícia Federal não detalha se a bomba em questão ficava no bairro do Rio Vermelho e se a falha aconteceu em março de 2016. A operação foi realizada depois que a própria Embasa se recusou a prestar informações sobre o caso.

Share Button